Arquivo da categoria: Flávia Flavs

SEGUNDA 01 DE JULHO DE 2013

Segunda, 1 de julho de 2013.

Dia 01/07/2013 o Brasil vai parar. Vamos mostrar ao governo que quem faz um país é o povo, e não os políticos. Unidos podemos fazer esse país mudar. Ou o governo nos respeita, ou paramos de jogar.

-> Convide a maior quantidade possível de pessoas e participe desse momento histórico.

O povo não deve temer seu estado. O estado deve temer seu povo. “V de Vingança”

Esta luta é pelo:

• Fim da roubalheira
• Auditoria no caixa do governo
• Punição para os corruptos
• Melhoria no transporte público com um preço justo
• Melhoria nas estradas e no transito e sem pedágios
• Melhoria na saúde e educação
• Melhorar condição de trabalho e melhor salário para lixeiros, professores, médicos, enfermeiros, bombeiros e policiais
• Um salário mínimo decente
• Liberdade de expressão
• Liberdade de imprensa
• Redução salarial dos cargos políticos
• Reforma tributária

Isso é o mínimo que podemos pedir, afinal, o dinheiro é nosso e os políticos trabalham pra nós.

Vamos parar o país e se não resolver vamos ter que demitir cada vereador, deputado, senador, prefeito, governador, e se for preciso, a presidente.

Estamos no limite, cuidado, somos Brasileiros.

Nesse dia vamos pintar a cara e ir pras ruas, e se mesmo assim não resolver, vamos estender a greve.

*****IMPORTANTE – Não se preocupem, temos o direito por lei de fazer greve, e seu salário não será descontado: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7783.htm

SURFER

o detrito é federal..

“Acabo de chegar de um lugar incrível, onde a natureza é infinita nas suas formas e cores.
O velho cerrado do centro-oeste do nosso país.
Visões de abundância!
Uma cidade pequena, cachoeiras aos montes, trilhas e mais trilhas, ranchos produtivos e improdutivos se perdendo na visão.
Uma população residente de produtores, donos de ranchos, seus lavradores, gringos artistas que passavam e ficaram, turistas, nativos.
Não fiquei lá muito tempo, uma semana, mas gosto de viagens curtas porque as torno sempre muito intensas, quero provar e aproveitar tudo e na maior consciência.
E é nesse ponto mesmo que quero chegar- consciência.
Mais ciência, na verdade.
Quero trazer a todos o fato desta cidade despejar todo o seu lixo- que não é pouco- em um lixão que fica ha 3km do centro da cidade, que já é a própria cidade.
Moscas e mau cheiro incomodam os mais atentos.
Me parece que não há outra preocupação que não seja o fim do mundo e ufos.
Não há limpeza pública. A rua está cheia de guimbas de cigarro, papéis de bala, latinhas….não há nem reciclagem nem compostagem.
O lixão não é legal, não é aterro, não há produção de energia e de acordo com moradores não há investimento nem interesse político em se fazer nada a respeito.
Os moradores que se dizem “verdes”, eco isso eco aquilo, hippies, músicos e artistas estão ali…meio que desfrutando, desfrutando…aproveitando a enxurrada de interesse turístico, vendendo seus trampos, mas na moral, não vi um movimento nesse sentido.
Esqueceram de avisar que os recursos são renováveis caso haja preservação…com degradação são extintos.
Essa terra abriga o ameaçado de extinção Lobo-Guará…coisa mais linda…eu vi um no mirante próximo ao portal da Chapada…cores vibrantes.
Terra dos tucanos e araras livres. E uma guimba de cigarro sendo levada para o ninho de uma ave é triste fim de filhotes e talvez da espécie.
Muito triste…
Saí, me diverti, ouvi um som, explorei as trilhas com meus pés e a paisagem com fotos…levei meu lixo para fora da cidade e joguei numa área de maior interesse político: Brasília…o detrito é federal…”

Flávia

Um comentário….

Flávia Flavsmar 28, 3:57 pm

Ahaaa…boa!
Bem lembrado…
Existe um livro, talvez você conheça, “mate- me, por favor!”, uma história do punk rock sem cortes…rolam umas baixarias e tal…mas esclarece algumas coisas como qual foi o berço do punk, de onde veio a palavra, Londres ou Nova Yorque?…Qual foi daqueles caras de moicano e com roupas rasgadas…
Mas aqui foi outra cena.
e as gírias? as melhores né…ainda mais no sotaque sulista…” reck na caranga muito louca pra dar banda…” mas era isso… havia uma conexão do surf com o punk, mais profunda que o estilão.
Atitude tinha essência, rebeldia e mudança.
Como o Wander Wildner disse sobre o rock de ontem e o de hoje: se ontem o rock era cheio de atitude…imagina que era o pasto que o animal se alimenta…o rock de hoje…bem…você pode imaginar né…

Cala a boca ! não enche o saco 2!!!

Parece estranho que isto venha de uma yogini….rrsrs…mas o punk…pra mim é punk a atitude yogue…
Esta frase que parece ser da mais pura intolerância às vezes vem em boa hora.
Vamos deixar de lado os condicionamentos e julgamentos.
Há uma reflexão a ser feita a esse respeito.
Muitas palavras brotam da insatisfação. Reclamações, suspiros de “saco cheio da vida” que acabam por contagiar um ambiente seja de trabalho ou entre entes, não importa. A questão é que reclamações e resmungos não resolvem.
O dever é agir independente do resultado.
Você vive bem com oque tem ou se livra do que te faz mal.
Se ficar na inércia reclamando, na boa, cala a boca….não enche o saco…

PERU again

Logo estarei lá de novo…
Já estou pensando na vibe do local
Um pouco do meu trabalho.
Espero que gostem

Eric Gonçalves, em Pacasmayo- 2010 from fLávIA gOMes flAvS on Vimeo.

os yoguis tão invadindo o blog..

COMPARTILHANDO COM A MÁFIA

LOPEZ MENDES -ILHA GRANDE

Auto conhecimento e alheio entendimento

Oi galera!
Depois de participar do blog como “fun” durante um bom tempo, cá estou como integrante e me sinto honrada em fazer parte dessa Máfia, onde somos como tantos mas falamos oque pensamos, nos expressamos como aquela Old school q sabia oque queria,,, e isso é muito bom!
Sou geógrafa de formação, editora por profissão e professora de Yoga por vocação…vocação porque esse lance de generosamente ensinar é de família e eu a-do-ro.
Meu contato com o surf vem de longe, final dos 70…quando meu irmão Cacau começava sua busca, seu auto conhecimento através do esporte. E eu acompanhei de perto…entre amigos, nas trips, mais tarde fotografando e filmando. Me uni aos amigos de Saquarema e Niterói partindo em surftrips . Eis um pouquinho de mim.
Imagino escrever pelo olhar yogue, feminino, skatista, amante do surf, videomaker e geógrafa. Mas sobretudo, como Flávia.
Obrigada pelo espaço existir! Muito bom estar aqui.
Beijo em todos
Om Shanti