Arquivo da tag: ipod

Pra abrir os trabalhos….CRACKER

no coments…. Uma das minhas bandas prediletas q tocam sem para no meu IPOD

 

 

e viva o Blues!!!!!!!!!!!!!!!

Hoje cruzei o Norba..
Cara gente fina, manda muito bem na guitarra e toca um blues transgressor.
Surfista das antigas e grande figura do rock nacional.
Porrada pura…
Ganhei dele um cd gravado em 2008, que ouvi na volta pra casa no carro.
Ouvi uns sons novos no i pod dele, que está num novo projeto…
Pra quem não conhece o cara, vale ficar conhecendo, pois além da humilde as conversas com ele sempre são um aprendizado.
Até a próxima cerveja NORBA…

aloha e viva o blues!!!!!!!!!!!!

Ao vivo no CCSP
Norba Zamboni guitars, Manny Monteiro drums, Bira Rosa Bass, Adriano Grineberg keybords

SURFE EM NOVA YORK

26 de Agosto de 2009,despertei por volta das 8h00 e em alguns minutos eu estava pronto para o dia.
Peguei uma carona com minha esposa e lá fui eu.Logo cedo já estava pronto para o surfe.
Entrei no metrô a caminho da Av. Paulista. Surfe de trem e com “tubo” o tempo todo.
Como bom paulistano, sempre correndo, e sem ter ingerido nada pela manhã, passei numa cafeteria e peguei um café (algo raro) e um pão de queijo.
Mochila nas costas, ipod pronto ,celular ligado e food in my hand.
Á poucos minutos estava em dentro do vagão e observando ao redor e pensando:
“Faz um tempo que não surfo, logo que me curar desta gripe, vou descer a serra e pegar umas ondas”.
Na TV interna do metrô, política, horóscopo e anúncios de plano dental, me passam aos olhos e em minha mente apenas a lembrança da última session com alguns amigos no extremo litoral sul paulista. Naquele dia, ondas de 1 metrão ,com tempo nublado em paredes lisas e manobráveis.
Viajei: “Parece que estou em Nova York, onde queira ou não a cidade São Paulo se assemelha muito.
Excelente comida a qualquer hora,diversos espetáculos culturais ,pela variedade de pessoas,cidade cara e cosmopolita,onde todos correm de um lado para o outro feitos “ratos” (rat race) sem saber ao certo o que fazer para ganhar dinheiro.
Na primeira baldeação, liguei o som e continuei a viajar, pois ainda havia 4 ou 5 estações até meu destino.
Na minha mente fervilhava: “Que cidade maluca, quanta gente e quanta coisa acontecendo ao mesmo tempo”.
Propagandas de todo tipo em vários lugares, pessoas com os mais variados estilos, cores e muita informação rolando num espaço apertado, dificultando a compreensão das coisas simples e me levando a observar o que ocorria a minha volta.
Na realidade nunca estive em Nova York (e sinceramente não tenho nenhuma vontade de ir até lá), mas conheço um pouco da cidade, devido parentes e amigos que já visitaram o local e referências visuais de filmes, livros ou fotografias.
E posso afirmar: ”Estamos correndo atrás de algo que nem sabemos o que é”. Pense nisso…………………
Acho que devemos parar e pensar um pouco a respeito. Pode ser São Paulo ou Nova York. A loucura é a mesma. A correria é igual. E as pessoas não sabem seus objetivos.
A única diferença é que na minha cabeça, apenas uma frase se repetia, feito um mantra por todo o caminho: “Faz um tempo que não surfo, logo que me curar desta gripe, vou descer a serra e pegar umas ondas”.
Já estou bem melhor para falar a verdade, portanto vejo vocês no próximo swell.
Vocês sabem onde vou estar.