Arquivo da tag: raul seixas

Qé raridade????? RAUL SEIXAS EM MARILIA GABRIELA 1985 COMPLETO

Toca Raul.

Boa essa animação:

Eu me orgulho em ter tomado uma com Raul…

ali no itaim bibi……

Como chama a musica que vc faz hj????

– Raul Seixismo!!!!!!

Minha homenagem ao dia do Rock:

Raulzito, no ano em que eu nasci, no melhor estilo cade a letra da musica….

SOCIEDADE

TODOS OS PARTIDOS SÃO VARIANTES DO ABSOLUTISMO.

NÃO FUNDAREMOS MAIS PARTIDOS;o ESTADO É O SEU ESTADO DE ESPÍRITO”

 

RAUL SEIXAS

 

 

é só olhar pela janela…

A nova geração conhece Lua Bonita pela bela regravação feita pelo maluco beleza Raul Seixas. No entanto, a música foi originalmente gravada em 1953 por Zé do Norte, autor da canção em parceria com Zé Martins, para a trilha sonora do clássico de Lima Barreto, “O Cangaceiro”, que foi considerado o melhor filme de aventura do Festival de Cannes daquele ano. Nesse mesmo filme, Zé do Norte também lançou Mulher rendeira, outro clássico da MPB. Aliás, mesmo no Nordeste, esta música é tão enraizada no imaginário coletivo, que a maioria das pessoas a vêem como herança folclórica, de domínio público e autor desconhecido. A trilha do filme, que tem parte das músicas de outros autores, em muito contribuiu para tornar a música de Zé conhecida em todo mundo – Europa, EUA, União Soviética – já que, na época, a fita foi vista em 80 países e por quase 50 milhões de pessoas!

Canto para minha morte.

Se eu for postar as musicas do Raul Seixas que marcaram minha vida, faltara espaço, pois seriam no minimo umas 50 musicas…e teria que deixar alguma de fora.

Vou postar esses dois que representam bem quem foi Raulzito.

e essa raridade que só o u tube nos proporciona…

1973 eu estava nascendo…

Meu maior idolo musical:

Toca Raul!!!!!!


Raul Seixas e Zé Ramalho MEDO DA CHUVA Relíquia (cantando na casa do Zé Ramalho)

é tudo gente fina, meu advogado jura…

Toda vez que eu olho no espelho a minha cara
Eis que sou normal e isso é coisa rara
A minha enfermeira tem mania de artista
Trepa em minha cama, crente que é
uma trapezista
Eu não vou dizer que eu também
seja perfeito
Mamãe me viciou a só querer mamar
no peito
Ehê, Ahá! Quando acabar o maluco sou eu
Ahá! Quando acabar, o maluco sou eu
O russo que guardava o botão da bomba “H”
Tomou um pilequinho e quis mandar
tudo pro ar
Seu Zé, preocupado anda numa de horror
Pois falta um carimbo no seu
“Tito” de eleitor
Ehê, Ahá!
Quando acabar o maluco sou eu
Ahá! Quando acabar, o maluco sou eu
Eu sou louco mais sou feliz
Muito mais louco é quem me diz
Eu sou dono, dono do meu nariz
Em Feira de Santana ou mesmo em Paris
Não bulo com governo, com polícia,
nem censura
É tudo gente fina, meu advogado jura
Já pensou o dia em que o Papa se tocar
E sair pelado pela Itália a cantar
Ehê, Ahá! Quando acabar o maluco sou eu
Ahá! Quando acabar, o maluco sou eu
Eu sou louco mais sou feliz
Muito mais louco é quem me diz
Eu sou dono, dono do meu nariz
Em feira de Santana ou mesmo em Paris
Não bulo com governo, com polícia,
nem censura
É tudo gente fina, meu advogado jura
Já pensou o dia em que o Papa se tocar
E sair pelado pela Itália a cantar
Ehê, Ahá! Quando acabar o maluco sou eu

Classicaço do final de semana….

Depois por um momento o céu virou fragmento….

Quando eu morri em dezembro
De mil novecentos e setenta e dois
Esperava ressuscitar e juntar os pedaços

Da minha cabeça
Um tempo depois um psiquiatra disse
Que eu forçasse a barra
E me esforçasse pra voltar à vida
E eu parei de tomar ácido lisérgico
E fiquei quieto lambendo minha própria ferida
Sem saber se era crime ou castigo

E se havia outro cordão no meu umbigo
Pra de novo arrebentar
Pois eu fui puxado à ferro
Arrancado do útero materno
E apanhei pra poder chorar
Quando eu morri suando frio
Vi Jimmy Hendrix tocando nuvens distorcidas
Eu nem consegui falar
E depois por um momento
O céu virou fragmento do inferno
Em que eu tive que entrar
Eu sentia tanto medo, só queria dormir cedo

Pra noite passar depressa
E não poder me agarrar
Noites de garras de aço
Me cortavam em mil pedaços
E no outro dia eu tinha que me remendar
E se a vida pede a morte
Talvez seja muita sorte eu ainda estar aqui
E a cada beijo do desejo
Eu me entorpeço e me esqueço
De tudo que eu ainda não entendi

Todos irão…

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar
Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?
Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida
Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas… Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio…
Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite…
Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

A Origem da musica Gita, Raul Seixas:

Gita, de Raul Seixas, é baseada no Bhagavad-Gitã, parte do Mahabarata, que seria a “bíblia” da religião hindu de Krishna. No texto um guerreiro, Arjuna, interroga Krishna sobre o seu significado (de Krishna). Krishna responde com frases como: “Entre as estrelas sou a lua… entre os animais selvagens sou o leão… dos peixes eu sou o tubarão…. de todas as criações eu sou o início e também o fim e também o meio… das letras eu sou a letra A… eu sou a morte que tudo devora e o gerador de todas as coisas ainda por existir… sou o jogo de azar dos enganadores…” em que obviamente se basearam os versos de Gita.

fonte whiplash

“NÃO PENSE QUE A CABEÇA AGUENTA SE VC PARAR”

rAUL sEIXAS

Sampa again

Sabado de manha…

Clip louco de uma história real…

Os Bons morrem cedo…

Love Street” is a 1968 song by The Doors which appears on their album Waiting For The Sun. The song is about the street in Laurel Canyon, California, where Jim Morrison lived with his girlfriend Pamela Courson.
Love Street was one of the many songs Jim wrote for Pam

She lives on Love Street
Lingers long on Love Street
She has a house and garden
I would like to see what happens

She has robes and she has monkeys
Lazy diamond studded flunkies
She has wisdom and knows what to do
She has me and she has you

She has wisdom and knows what to do
She has me and she has you

I see you live on Love Street
There’s this store where the creatures meet
I wonder what they do in there
Summer Sunday and a year
I guess I like it fine, so far

She lives on Love Street
Lingers long on Love Street
She has a house and garden
I would like to see what happens

La, la, la, la, la, la, la
La, la, la, la, la, la, la
La, la, la, la, la, la, la
La, la, la, la, la, la, la
La, la, la, la, la, la, la

Essa cheira sabado a tarde…

Poeta Sotero Paulista

Óculos Escuros
Raul Seixas
Composição: Raul Seixas
Como vovó já dizia
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Mas não é bem verdade?
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Hummm…
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Minha vó já me dizia pra eu sair sem me molhar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Mas a chuva é minha amiga e eu não vou me resfriar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
A serpente está na terra e o programa está no ar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
A formiga só trabalha porque não sabe cantar
Quem não tem colírio usa óculos escuros
Quem não tem filé come pão e osso duro
Quem não tem visão bate a cara contra o muro

(quem não tem colírio usa óculos escuros)
É tanta coisa no menu que eu não sei o que comer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
José Newton já dizia se subiu tem que descer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Só com a praia bem deserta que o sol pode nascer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
A banana é vitamina que engorda e faz crescer
Quem não tem colírio usa óculos escuros
Quem não tem filé come pão e osso duro
Quem não tem visão bate a cara contra o muro

Quem não tem colírio usa óculos escuros
Quem não tem filé come pão e osso duro
Quem não tem visão bate a cara contra o muro

(quem não tem colírio usa óculos escuros)
É tanta coisa no menu que eu não sei o que comer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Só com a praia bem deserta que o sol tem que nascer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
José Newton já dizia se subiu tem que descer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
A banana é vitamina que engorda e faz crescer
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Minha vó já me dizia pra eu sair sem me molhar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Mas a chuva é minha amiga e eu não vou me resfriar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
A serpente tá na terra e o programa está no ar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
A formiga só trabalha porque não sabe cantar
(quem não tem colírio usa óculos escuros)
Quem não tem filé come pão e osso duro

essa musica é batida, mas o interessante é a fabula de Monteiro Lobato que essa musica foi baseada…olha de onde o Raul tirou a frase:

– A formiga só trabalha porque não sabe cantar…

Sencacional!!!!! vale a pena esperar carregar e assistir…

Há inúmeras versões desta fábula. Monteiro Lobato, precursor da História Infantil no Brasil, em seu livro Fábulas, introduziu a fábula da formiga boa, pois a outra é uma avarenta e invejosa.. Na sua versão ele finaliza dizendo: “OS ARTISTAS – POETAS, PINTORES, MÚSICOS – SÃO AS CIGARRAS DA HUMANIDADE”.
A versão em vídeo é outra releitura, que acompanha o sentimento de solidariedade, que contraria as versões conservadoras em que a formiga se morde de inveja e é avarenta:
Era uma vez uma cigarra que vivia saltitando e cantando pelo bosque, sem se preocupar com o futuro. Esbarrando numa formiguinha, que carregava uma folha pesada, perguntou:
– Ei, formiguinha, para que todo esse trabalho? O verão é para gente aproveitar! O verão é para gente se divertir!
– Não, não, não! Nós, formigas, não temos tempo para diversão. É preciso trabalhar agora para guardar comida para o inverno.
Durante o verão, a cigarra continuou se divertindo e passeando por todo o bosque. Quando tinha fome, era só pegar uma folha e comer.
Um belo dia, passou de novo perto da formiguinha carregando outra pesada folha.
A cigarra então aconselhou:
– Deixa esse trabalho para as outras! Vamos nos divertir. Vamos, formiguinha, vamos cantar! Vamos dançar!
A formiguinha gostou da sugestão. Ela resolveu ver a vida que a cigarra levava e ficou encantada. Resolveu viver também como sua amiga.
Mas, no dia seguinte, apareceu a rainha do formigueiro e, ao vê-la se divertindo, olhou feio para ela e ordenou que voltasse ao trabalho. Tinha terminado a vidinha boa.
A rainha das formigas falou então para a cigarra:
– Se não mudar de vida, no inverno você há de se arrepender, cigarra! Vai passar fome e frio.
A cigarra nem ligou, fez uma reverência para rainha e comentou:
– Hum!! O inverno ainda está longe, querida!
Para cigarra, o que importava era aproveitar a vida, e aproveitar o hoje, sem pensar no amanhã. Para que construir um abrigo? Para que armazenar alimento? Pura perda de tempo.
Certo dia o inverno chegou, e a cigarra começou a tiritar de frio. Sentia seu corpo gelado e não tinha o que comer. Desesperada, foi bater na casa da formiga.
Abrindo a porta, a formiga viu na sua frente a cigarra quase morta de frio.
Puxou-a para dentro, agasalhou-a e deu-lhe uma sopa bem quente e deliciosa.
Naquela hora, apareceu a rainha das formigas que disse à cigarra: – No mundo das formigas, todos trabalham e se você quiser ficar conosco, cumpra o seu dever: toque e cante para nós.
Para cigarra e para as formigas, aquele foi o inverno mais feliz das suas vidas.
“A FORMIGA SÓ TRABALHA PORQUE NÃO SABE CANTAR” (RAUL SEIXAS)

Quem assistir até o final, por favor comente, pois esse vale a pena…

Again………na madruga……………madruga??????? 7:45

ouve essa letra do raul, imbeciloides!!!!!!!

TOCA RAUL…

Ninguém pediu…
A galera do blog curte…
vocês já devem ter percebido.
O Blog da Máfia é uma SOCIEDADE ALTERNATIVA…
Então nada mais justo fazer mais uma homenagem ao homem….

RAUL SEIXAS:

Mais um clássico e nada de surf…

O mundo é maluco.

Reza a lenda que o John Lennon foi morto pela CIA, pois era uma má influencia para a juventude, mas após morrer, virou um Deus.

Imagine tocando em todo lugar, como se o cara fosse um santo…

Fizeram isso com tantos outros…

Num é Raul???

Vale lembrar que nesse tempo o cara ja era contra a guerra, nem imaginava o que estava por vir…

O cara ta cantando mascando chiclete ou a lingua??

Olha o Bill Clintom cantando Imagine!!!

Segundo essa “teoria da conspiração” é ridiculo um presidente americano fazendo isso…

O mundo ficou mais chato.

Ao chegar na praia no Sábado de manhã, nada de onda, fui para o Quiosque do Brother e chegando lá, cai de costas, o mundo perdeu mais um de seus genios, genio da alegria.

Aloha Brother, onde estiver fique em paz, estaremos sempre lá representando a mesa ce3ntral e, não se acanhe em sentar com agente.

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar

Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas… Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio…

Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite…

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Vovó sabe tudo…

Por isso que nós gostamos de vcs mulheres……..muito bem feito.

III. A lei de Thelema

Um abraço pra galera ai do sul!!!!

Hoje vou fazer uma coisa proibida nas regras do Blog: postar textos quilometricos, mas num sabadão esperando ver o que vai rolar no Pipe Masters, estava lendo esse texto.

Postar não significa concordar com tudo o que esta escrito, mas sim informar a existencia.

Thelema é a filosofia ou religião – dependendo do ponto de vista – baseada nos dois preceitos fundamentais da chamada Lei de Thelema:

Faze o que tu queres será o todo da Lei.

Amor é a lei, amor sob vontade.

Apresentado ao mundo no Livro da Lei (Liber AL vel Legis), escrito pelo sinistro Aleister Crowley nos dias 8 a 10 de abril de 1904. Seus adeptos são chamados de “thelemitas”

Código de Conduta.

“Faze o que tu queres há de ser o todo da lei.”
“Amor é a lei, amor sob vontade”
“Não há lei fora Faze o que tu queres.”
Isso significa que cada um de nós estrelas somos para mover-nos em nossa verdadeira órbita, como demarcada pela natureza de nossa posição, pela lei de nosso crescimento, e o impulso de nossas experiências passadas. Todos os eventos são igualmente lícitos e cada um necessário, na longa jornada para todos nós, em teoria; mas em prática, somente um ato é lícito para cada um de nós em um dado momento. Portanto Dever consiste em determinação em experimentar o evento correto de um momento de consciência para outro.
Cada ação ou movimento é um ato de amor, a unificação com uma ou outra parte de “Nuit”; cada ato desse tipo precisa estar ‘sob Vontade,’ escolhido de forma que satisfaça, e que não frustre, a natureza verdadeira do ser em questão.
Os métodos técnicos para alcançar isto devem ser estudados em ‘Magick’ ou adquiridos por instrução pessoal do Master Therion e seus assistentes nomeados.
IV. O novo éon
O terceiro capítulo do Livro é difícil de entender, e pode ser muito repugnante para muitas pessoas nascidas antes da data do livro (abril de 1904).
Ele mostra as características do Período no qual estamos agora entrando. Superficialmente, elas parecem horríveis. Nós já vemos algumas delas com terrível clareza. Mas não tenha medo!
Ele explica que certas ‘estrelas’ (ou agregados de experiência) vastas podem ser descritas como Deuses. Um destes fica no encargo dos destinos desse planeta por períodos de 2,000 anos. Na história do mundo, tanto quanto conhecemos acuradamente, existem três Deuses desse tipo: Isis, a mãe, quando o Universo era concebido como um simples alimento drenado diretamente dela; esse período é marcado pelo governo matriarcal.
Depois, começando em 500 A.C., Osiris, o pai, quando o Universo foi imaginado como catastrófico; amor, morte, ressurreição, como o método pelo qual experiência era construída, isso corresponde aos sistemas patriarcais.
Agora, Hórus, o filho, no qual viremos a perceber eventos como um crescimento contínuo compartilhando em seus elementos com ambos os métodos, e não sendo vencidos pelas circunstâncias. Esse período presente envolve o reconhecimento do indivíduo como a unidade da sociedade.
Nós percebemos nós mesmos como explicado nos primeiros parágrafos deste ensaio. Cada evento, inclusive a morte, é somente outro acréscimo a nossa experiência, livremente desejada por nós mesmos desde o início e, portanto também predestinada.
Esse “Deus,” Hórus, tinha um título técnico: Heru-Ra-Ha, uma combinação de deuses gêmeos, Ra-Hoor-Khuit e Hoor-Paar-Kraat. O significado desta doutrina precisa ser estudado em ‘Magick’ (Ele é simbolizado como um Deus Cabeça-de-Falcão entronado)
Ele rege o presente período de 2,000 anos, começando em 1904. Em toda parte seu governo deita raízes. Observem vocês mesmos a queda do senso de pecado, o crescimento da inocência e da irresponsabilidade, as estranhas modificações do instinto reprodutivo com tendências a se tornar bissexual ou epiceno, a confiança infantil no progresso combinada com medo pesadelesco de catástrofe, contra a qual nós já estamos parcialmente não querendo tomar precauções.
Considere o afloramento das ditaduras, somente possíveis quando o crescimento moral está em seus mais primevos estágios, e a prevalescência dos cultos infantis como Comunismo, Fascismo, Pacifismo, Doenças Mentais, Ocultismo, em quase todas as suas formas, religiões sentimentalizadas até o ponto de praticamente extinção.
Considere a popularidade do cinema, do rádio, da loteria esportiva e competições de adivinhação, todos mecanismos para acalmar bebês irritadiços, nenhuma semente de finalidade neles.
Considere a guerra, e a fúria que ela provoca, nações inteiras perturbadas por disputas entre garotos.
Considere a guerra, as atrocidades que ocorrem diariamente e deixam-nos impassíveis e dificilmente preocupados. Só podem ser feito por crianças.

Agora fui de vez…mas deixo um mega post, cheio de informação……………….. TOCA RAUL!!!!!!!!!!!!!!!!!

Eu também vi o video do Andy Irons e a empresa Audi, tive um pensamento, mas ao ver o post do Cebola, resolvi postar meu pensamento:

– É só mais uma empresa querendo sugar a imagem do surf.
– Pergunta se eles não querem bancar uma etapa do WCT ou do WQS?????
– Hoje até o Playboy que tem um Audi queria ser surfista…….

– Vc já foi pra Maresias????????

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Porco Capitalista…….

Hoje assisti o pipe masters e, como disse o narrador, John JohnJohn John Florence parecia que tava brincando no quintal de casa, infelizmente a vitima foi nosso Heitor Alves, mas acho que, com essa atuação o “garoto” de 18 anos daria pau em qualquer um:

Surf competição é tudo??????

Olha a remada desse cara!!!!!!

oLHA OS “JOELHINHOS”!!!!!!

Pra mim o video mais surf do u tube!!!!!!!!!!!

Olha cada vaca que o cara tomou…….

Jamie Starling

Essa eu sempre tive vontade de postar, mas sempre achei que a galera ia achar que isso não é surf…

Eu acho Surf Total!!!!!

E esse então, é mais surf que o Slater…………ou não??????

Escrever um mega post e não colocara nossa “querida” Maya Gabeira é crime.

Texto original:

Musica de Edu Portela dedicada à bigrider brasileira Maya Gabeira.

Conheça mais do trabalho de Edu Portela!

http://www.myspace.com/eduportelamusic

Eu já disse, eu sou fã dessa mina……..

Até segunda e vamo quebra tudo no final de semana.

Eu não uso sapato e se tiver que usar, escolho o Que Quero!!!!!

Hoje, acordei às 7 horas da matina e fui trabalhar.

Trabalhei até as 5 da tarde, tomei um banho, coloquei uma berma, minhas havaianas verdes e fui para o bar.

6 e meia da tarde, sol alto, estava lá, com um camarada (trabalha na corretora e tava todo bunitinho), várias garrafas secas na mesa…

Fliperama rolando………fliperama????? kkkkkkkkk

Como vovó ja dizia:

-Fliperama é brinquedo de adulto…

Quem passasse na frente do bar diria:

– Quem é esse vagabundo?????

– Deve estar desempregado…

E eu diria:

– Meu chinelo eu não comprei, eu conquistei!!!!!!!

Uma que tem a ver com isso:

Raul cantando Sapato 36 apenas violão e voz…e do jeito dele!!

O Raul errando suas músicas é um clássico…olha a letra dessa música!!!!!!!!!!!!

TOCA RAUL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Liguei para meu brother Cebolitos, do bar e comentei sobre o post do Secreto sobre o chinelo e, sabem o que ele me disse??????

– Porra Brother, eu to de chinelo indo dar uma aula de Yoga!!!!

Eu to achando que essa galera não tem uma gravata no armário e quando vai num casamento pega a Beca emprestada do pai.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Muitas pessoas vivem de sonhos
e esquecem que é preciso viver
é importante sonhar,
mas não se esquecer da vida…

Aeee mulecada, todo mundo com a mão pra cima assim e vamo manda se fudeeeeeeee

– Eu não sei faze poesia, MAS QUE SE FODA!!!!

QUE SE FODA a hipocresia, QUE SE FODA o sistema, QUE SE FODAM os politicos, QUE SE FODA a tirania, QUE SE FODA os que julgam, mas tudo sem preconceito!!!!!!!!!